Para os usuários que estão com problemas de acessar os vídeos, por favor utilizar uma VPN



A casada carente

Hoje vou relatar uma história que aconteceu recentemente, apesar de ter que omitir alguns detalhes tentarei ser o mais fiel possível aos fatos.
Tenho 24 anos, minha namorada 22 anos, estamos juntos há 3 anos e temos uma boa vida sexual, mas sem grandes aventuras, o que de certo modo nunca havia me incomodado.
Há um ano aproximadamente, uma nova mulher começou a trabalhar no seu setor e as duas passaram a desenvolver uma amizade, seu nome é Camila, tem 34 anos, morena e pele clara, casada com André de 37 anos.
Até então eu e minha namorada nunca havíamos tido amizade com nenhum casal, achamos bom conhecer Camila e André, pois assim poderíamos fazer alguns programas diferentes, sair para conversar e beber, mesmo nossa faixa etária um pouco diferente, era bom conversar com eles.
Antes do ocorrido que irei relatar saímos nos quatro várias vezes, sempre para bares ou restaurantes. Não tinha pretensão alguma que essa amizade poderia desencadear alguma coisa, até porque gostava da amizade do André também.
Em uma dessas saídas resolvemos combinar um programa um pouco diferente: Ir acampar em um hotel fazenda próximo daqui.
Nunca havíamos feito algo assim, mas vimos um anúncio na internet que nos chamou a atenção. Levamos barracas,
churrasqueira e bastante bebida, já que iriamos ficar no sábado e domingo.
No primeiro dia, aproveitamos para descobrir um pouco mais do local, apesar de ser afastado da cidade a área de camping era bem organizada e o local bastante agradável.
No final da tarde, acendemos a churrasqueira e começamos a preparar algumas carnes e petiscos, desde de cedo eu e André já estávamos bebendo, no final da tarde as meninas também começaram. Realmente estava um passeio bem bacana, acendemos uma fogueira e ficamos até tarde conversando, as vezes algum assunto relacionado a sexo,
mas nada demais, apenas brincadeiras de casais.
Já bem tarde da noite fomos dormir, cada casal em sua barraca, eu sempre gostei de ficar acordado até mais tarde, então fiquei sentado na parte de fora um bom tempo, olhando o céu e ouvindo o barulho dos animais noturnos.
Nossas barracas estavam próximas, sendo que a minha estava mais atrás da barraca da Camila e do André. A noite já estava bem avançada já, minha namorada dormia tranquilamente e podia ouvir o ronco do André.
Como estava sem sono ainda estava sentado na entrada da barraca quando vi Camila saindo e indo em direção a um
quiosque que havia mais a frente, no momento que vi, permaneci no meu lugar, a principio pensei que ela estava à procura de algum banheiro, mas continuei atento, ela usava uma vestidinho bem solto, deixando as pernas e as costas a mostra, nesse momento olhei ela com outros olhos.
Quando passaram alguns minutos resolvi ir em sua direção verificar se estava tudo bem, fechei a porta de minha barraca e fui, ao passar pela barraca do casal vizinho vi que André dormia bem pesado.
O quiosque era um pouco afastado, quando estava próximo percebi que Camila não estava em seu interior, mas ouvi um barulho vindo da parte de trás, quando dei a volta tomei um grande susto,
Camila estava com o vestido pouco levantado se tocando, um dos seus seios estava para fora das alças, mesmo sendo bastante silencioso ela rapidamente percebeu minha chegada e soltou a barra do vestido e foi logo se ajeitando.
Seu rosto ficou todo corado e ela perdeu a fala por alguns segundos, quando ela perguntou:

– O que vc está fazendo aqui?

continua depois da publicidade

Nessa hora, sem nem pensar fui até ela e comecei a beijar seu pescoço e agarrar seus cabelos. Ela se derretia enquanto falava:

-Para…. Alguém pode nos ver…. e se acordarem?
Mas a medida que ia beijando seu corpo ela se entregava totalmente, eu estava com um short largo e meu pau já bastante excitado esfregava em seu vestido, fiz sinal para ela não fazer barulho e continuei te agarrando.
À medida que ia te tocando ela ia se desabrochando, comecei nos seus seios, que estavam loucos para se livrarem daquele vestidinho, ela gemia de prazer no meu ouvido.
Ao tocar a mão em sua bucetinha percebi que estava muito molhada, sem esforço algum penetrei meu dedo nela, ela já nem conseguia mais pedir para parar.
Nesse momento agarrei firme em seus cabelos e a coloquei de costas contra o muro do quiosque, sabia que não tinha muito tempo, desci apenas as alças do seu vestido e seguro a barra com uma das mãos, enquanto continuava a segura-la pelos cabelos.
Ao suspender o vestido vi sua bunda, lisinha e volumosa, que vontade dar alguns tapas, mas tive que me contentar com alguns apertões, com bastante cuidado para não deixas marcas ou fazer qualquer barulho, nesse instante ela implorava:

-Me come vai, mete em mim….

Abaixei minha bermuda um pouco, meu pau estava com as veias saltando, quando ela sentiu foi logo empurrando a bunda em minha direção, eu gostando daquele joguinho, a forcei novamente em direção contrária, e fiquei deslizando meu pau em sua bunda, passei a segurar a barra do vestido com a boca deixando uma mão livre para apertar seus seios, ela doida de tesão pega firme no meu pau e enfia na sua bucetinha que estava quase escorrendo de tesão.
Nas primeiras metidas ela não conseguia segurar os gemidos, para evitar qualquer barulho coloquei uma das mãos em sua boca enquanto a outra segurava seus cabelos, comecei então a meter com força, mas devagar, dando estocadas bem gostosas e metendo minha rola inteira, já estava doido de tesão quando ela soltou um gemido, suas pernas ficaram bambas se escorando quase por completo em mim, nisso não resisti também e gozei, me esforçando para não fazer nenhum barulho.
Acredito que nunca havia gozado tanto em minha vida, por vários segundos podia sentir o gozo saindo de mim e entrando nela.
Camila respirava ofegante ainda, quando tirei o pau de dentro dela, caiu uma grande quantidade de gozo de sua bucetinha, ficamos no local algum tempo ainda nos beijando.
Nos limpados e voltamos separadamente para as barracas, ela foi primeiro, chegando lá me fez um sinal que estava tudo bem. Voltei então e dormi tranquilamente ao lado da minha namorada.
No outro dia fingimos que nada havia acontecido, mas depois desse dia nunca mais paramos de nos ver.
Se gostaram do conto fiquem a vontade para me escreverem, meu e-mail é:

[email protected], falo da cidade de Uberlândia – MG

A casada carente

0% 0 Mais Votados
  • Visto: 1141

    Added: 4 meses atrás

    Adult Wordpress Themes